sexta-feira, 31 de agosto de 2012

E quando a desculpa é a gordura?




Durante esses quase dois anos de Blog tenho ouvido e observado diversos tipos de problemas em relação a gordura, mas frequentemente esbarro com pessoas que usam a gordura como desculpa.  Pessoas que sempre sonharam em fazer uma universidade, mas que passaram a se esconder atrás da obesidade  para justificar a falta de coragem de se jogar no mundo.  Hora falam que não teriam roupas diversificadas para usarem no dia a dia, que sairia muito caro comprar roupas adequadas, pois somos sabedores que roupas plus-size são realmente mais caras.  Hora justificam que não se sentiriam à vontade no meio de pessoas que estariam o tempo todo planejando sair e se divertir.  Ou deixam de trabalhar na carreira de seus sonhos,  por vergonha de tentar uma entrevista meio a pessoas magras.  É claro que as coisas não funcionam assim.  Cada um tem seu momento e suas limitações.  Deixar de estudar ou trabalhar por algum tipo de limitação seja ela física ou emocional, merece a atenção e respeito das pessoas que o rodeiam, pois pode estar escondendo outros problemas mais sérios.
Em setembro do ano passado resolvi fazer uma especialização em psicopedagogia, e percebi de perto,  o que as pessoas tanto justificavam em relação ao seu peso poder dificultar sua vida acadêmica.  Cadeiras pequenas, serviram para me estimular a perder barriga, pois cada vez que ficavam mais largas eu percebia que podia ir mais além.  Rampas e escadarias, serviram para mim, como aliadas para enrijecer minhas pernas, porque nada nem ninguém seria capaz de interromper minha meta a ser conquistada.  E que fique aqui registrado, gordura nunca será empecilho para limitar um cérebro de se aperfeiçoar.


Conheci também mulheres que reprimiam seus desejos e impulsos sexuais, jurando para si mesma que o dia em que conseguissem emagrecer, iriam fazer as coisas que tanto sonhavam na cama, e com quem elas quisessem.  Conheço relatos de pessoas, que somente entenderam seus desejos quando emagreceram, pois só assim tiveram coragem de buscar sua realização.  Aí percebo o quanto o desejo sexual dessas pessoas está atrelado a aceitação do outro diante da sua auto-imagem.  Eu realmente acredito que precisamos amar o nosso corpo para ter e dar prazer.  E isso passa pela auto-estima, e principalmente, em saber escolher a pessoa com que você vai dividir sua cama, seu prazer, sua energia vital.  Quando nos amamos não nos permitimos ser tocados por quem não nos merece, por quem não nos admira.  E nada disso tem relação com o peso nem com as medidas.

Pense nisso...
Mil bjs,
TT.

2 comentários:

Karla Carvalho disse...

Amei!! É isso aí, quando realmente queremos algo devemos lutar e jamais desistir ou colocar empecilhos!
Beijoo

Tereza Telles disse...

É verdade amiga!!! Força, foco e fé!!!